Líder do governo defende ampliar Bolsa Família para substituir auxílio e ‘filtro’ em cadastros

Líder do governo defende ampliar Bolsa Família para substituir auxílio e ‘filtro’ em cadastros

Na esteira da discussão a respeito da substituição do Auxílio Emergencial, o líder do governo na Câmara dos Deputados, deputado Ricardo Barros (PP-PR), defende junto a ministros do governo Bolsonaro ampliar as famílias que recebem o benefício e um “filtro” de prefeituras nos cadastros de beneficiários do programa.

Como o governo não tem recursos para continuar pagando o Auxílio Emergencial, que acabou em dezembro, a equipe econômica estuda formas de manter assistida a população mais vulnerável e atingida pela pandemia.

Barros afirma que o governo vai socorrer quem mais precisa, mas não será no modelo do auxílio.

“O Auxílio Emergencial foi feito dentro decreto de calamidade, é um cheque em branco e não temos mais. Não se pode repetir a fórmula do auxílio. Vamos socorrer, mas não naquele modelo. A ajuda para quem precisa vai ser mais uma continuação do Bolsa Família”, diz Barros.

Para realizar essa inclusão, o líder do governo defende que as prefeituras verifiquem se quem está recebendo o Bolsa Família e vai, eventualmente, receber o novo benefício “realmente precisa”.

“No auxílio tudo foi feito por declaração voluntária. Se precisava ou não, ninguém conferiu. Defendo que as prefeituras façam essa verificação”, afirma Barros.

Outro ponto que o parlamentar quer emplacar são novos critérios e exigências para receber o benefício, como qualificação profissional e desempenho escolar.

“O programa não incentiva a sair. A rampa de ascensão social precisa ter mecanismos para que as pessoas saiam depois. Então, podemos ampliar mas precisa cobrar desempenho escolar, qualificação profissional, por exemplo”.https://s3.glbimg.com/v1/AUTH_14ce1dbebbe64b1e8e955809a085692d/web-components/prod/widget.html?productName=g1&productColor=%23C4170C&artworkURL=https%3A%2F%2Fwww.omnycontent.com%2Fd%2Fclips%2F651a251e-06e1-47e0-9336-ac5a00f41628%2F04561b43-753d-4784-8e19-ac8b00e86411%2F5ccfbf7b-05a6-4fff-9cb2-acc90042157c%2Fimage.jpg%3Fsize%3DMedium&audioURL=https%3A%2F%2Ftraffic.omny.fm%2Fd%2Fclips%2F651a251e-06e1-47e0-9336-ac5a00f41628%2F04561b43-753d-4784-8e19-ac8b00e86411%2F5ccfbf7b-05a6-4fff-9cb2-acc90042157c%2Faudio.mp3&duration=1533.179&author=G1&episodeTitle=Ser+escravo+dom%C3%A9stico+no+s%C3%A9culo+21&podcastTitle=O+Assunto&publishedAt=2021-02-08T04%3A01%3A18Z&shareUrl=https%3A%2F%2Fg1.globo.com%2Fpodcast%2Fo-assunto%2F&channel=desktop

A substituição do Auxílio Emergencial é prioridade no governo. O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) conta com a solução do projeto para se capitalizar eleitoralmente para 2022.

Barros disse que o tema está sendo tratado por Onyx Lorenzoni (ministro da Cidadania), a equipe econômica e o relator do Orçamento, senador Marcio Bittar (MDB-AC).

Até agora, não há definição da fonte de recursos para pagar a extensão do programa.

Deixe uma resposta